Cadastre-se e assista uma demonstração online

Demonstração Interativa

Acesse e conheça todos os detalhes do software Advanced Business ERP

Advanced Business E.R.P

Por que investir em um sistema de gestão personalizado?

Por que investir em um sistema de gestão personalizado?

Quantos processos sua empresa possui que são exatamente iguais aos de seus concorrentes? Muitos, não é mesmo? E quantos são os diferentes, que visam eliminar gargalos, aumentar a eficiência operacional, evitar desvios e gerar um diferencial competitivo? Apesar de serem poucos, são esses processos diferenciados que um sistema de gestão padrão no mercado não consegue comportar, fazendo com que sua empresa perca vantagens competitivas ao ter que adotar um recurso nada adequado a suas necessidades internas ou mesmo aos desejos de seus clientes.

Mas o que fazer nesses casos? Pois neste post listamos 4 grandes mitos que comprovam por que sua empresa deveria pensar em adotar um sistema de gestão personalizado e não cair na armadilha de contratar uma solução padrão ou sequer pensar em desenvolver sua ferramenta do zero. Curioso? Então confira:

1º mito: sistemas de gestão são completamente baseados nas melhores práticas do mercado

É verdade que alguns processos financeiros e contábeis, de gestão de estoque e de recursos humanos realmente obedecem a padrões independentemente da empresa. Também é verdade que, para boa parte das pequenas e médias empresas, os sistemas de gestão que oferecem processos padrões já são suficientes, pois elas não possuem processos internos muito diferenciados e nem pensam em criá-los. Mas é igualmente verdade que, das inúmeras empresas que encerram suas atividades precocemente, a gestão empresarial surge como o segundo maior motivo, perdendo apenas para a falta de planejamento prévio. Assim, pensar na gestão da empresa, no controle, no mapeamento e na melhor diferenciação dos processos é mesmo uma questão de sobrevivência.

Isso quer dizer que um sistema de gestão padrão pode, muitas vezes, trazer o conforto de que a empresa está no caminho certo, mas a falta de capacidade de controlar, de fato, todos os processos de todas as suas áreas e a necessidade de ainda manter um controle manual sobre alguns procedimentos podem fazer com que a empresa perca eficiência, margem de lucro e, por causa desse descuido, acabe comprometendo suas atividades. Logo, não basta que um sistema de gestão seja baseado nas melhores práticas do mercado, ele também precisa ser flexível o suficiente para refletir todos os processos de uma empresa, independentemente se é um padrão no seu setor ou segmento ou se é algo único e diferenciado.

2º mito: o melhor é contratar um desenvolvedor e criar seu sistema de gestão do zero

O processo de desenvolvimento de um sistema, independentemente de qual for, é muito caro, pois envolve os custos relativos aos honorários do desenvolvedor, o tempo necessário para mapear cada um dos processos realizados nas diferentes áreas da empresa, assim como os custos relativos a um ambiente de tecnologia da informação para o desenvolvimento, teste e validação do sistema antes de ele funcionar de fato, adequação do sistema às exigências legais dentre muitas outras despesas.

Já parou para pensar que até grandes empresas multinacionais acabam adotando um dos sistemas de gestão empresarial disponíveis no mercado para diminuírem os custos relacionados a esse desenvolvimento do zero, focando os esforços da implantação em customizações e personalizações? Logo, faz sentido que sua empresa também adote essa prática, buscando um sistema de gestão que já possua as funcionalidades consideradas como padrão e, ao mesmo tempo, que dê a liberdade para que integrações, customizações e personalizações sejam realizadas.

3º mito: pequenas e médias empresas não têm poder de compra para investir em tecnologia personalizada

É verdade que boa parte das pequenas e médias empresas não possuem orçamento disponível devidamente planejado para investir em um sistema de gestão. Também é verdade que sistemas de gestão que podem ser personalizados foram, durante muito tempo, mais caros que aqueles engessados. Mas essa realidade mudou. E precisa continuar mudando. O fato de não ter um planejamento ou um orçamento disponível para tecnologia da informação pode ser facilmente alterado, pois se antes grandes investimentos em servidores, compra de licenças, equipe técnica especializada ou suporte e manutenção se faziam necessários, agora as empresas podem investir alguns reais mensais para terem uma solução on-line disponível para a gestão completa de seus negócios.

Aliás, segundo pesquisa do SEBRAE, são dois os elementos que garantem o crescimento e a sobrevivência de uma empresa: seu planejamento antes da abertura e uma boa gestão do negócio após a abertura. Além disso, o planejamento para se investir em tecnologia vem sendo feito, sim, pelas pequenas e médias empresas, tanto que em 2010 apenas 40 mil empresas procuraram a consultoria do SEBRAE para aplicar seus recursos na compra de tecnologias e inovações, enquanto em 2012 esse número já passou para 120 mil! É, portanto, mito pensar que o orçamento é um impeditivo para as empresas adotarem sistemas de gestão, até porque hoje existem soluções on-line que não exigem altos investimentos para sua implantação. Então a hora é mesmo essa!

4º mito: só uma gestão de custos eficiente já consegue garantir a sobrevivência da empresa

Boa parte dos sistemas gerenciais padronizados oferecidos no mercado dispõe de módulos que apoiam a gestão de custos de uma empresa, bem como permite uma visualização rápida do fluxo de caixa. No entanto, só esses itens não garantem que sua empresa seja de fato sustentável. Ainda segundo o SEBRAE, as empresas que sobrevivem ao mercado entendem que oferecer serviços e produtos diferenciados é a principal razão de seu sucesso, com a competitividade dos preços caindo para o 2º lugar da lista.

Ora, gestão de custos representa a possibilidade de redução de preços e de aumento da margem de lucro, mas não equivale à oportunidade de ofertar nada diferenciado para os clientes. Além disso, ter processos diferenciados é uma forma de garantir que seu cliente também será tratado de forma especial, pois os processos servem para facilitar o relacionamento do cliente com a empresa. Os processos padronizados, por sua vez, levam a um atendimento igualmente padronizado. Logo, pensar em experiências diferenciadas, apoiadas por processos personalizados e controlados por um bom sistema de gestão se mostra muito mais eficiente que a simples gestão de custos.

Por fim, pare para refletir um pouco sobre o que faz mais sentido: adaptar sua empresa a um sistema de gestão pensado e padronizado para um grupo indistinto de negócios ou adaptar o sistema de gestão às necessidades específicas do seu empreendimento? E não deixe de comentar aqui para nos contar o que achou do post de hoje, ok? E aproveite para assine nossa newsletter e continuar sempre muito bem informado a respeito das melhores práticas de gestão e de uso de tecnologia nas pequenas e médias empresas!

 

Compartilhe