Saber mais sobre o fluxo de caixa e o que é o seu verdadeiro propósito dentro de uma organização corporativa deve fazer parte da rotina de estudos e conhecimento de todos os bons gestores e líderes. E por fornecerem resultados importantes e ajudar tanto no controle como no crescimento, é possível encontrar as ferramentas consagradas na gestão de qualquer tipo de negócio.

E ter um bom domínio da movimentação do caixa faz parte desse grupo sendo, então, uma das técnicas mais importantes para que o controle financeiro empresarial seja de qualidade. Tal recurso é responsável por demonstrar as entradas e saídas financeiras do negócio, atuando diretamente no planejamento das ações da empresa por fatores determinantes em seus resultados.

Portanto, conhecer e investir em estratégias que facilitem ou forneçam maior controle de todos os seus detalhes, como os aspectos mais relevantes da sua importância e implementação, são mais do que fundamentais. E foi pensando nisso, que trouxemos esse post completo para te ajudar nessa tarefa.

Quer entender melhor o assunto? Então continue acompanhando essa leitura e fique por dentro de tudo com a ADV Tecnologia.

O que é fluxo de caixa e para que serve?

O fluxo de caixa é uma ferramenta de gestão financeira que faz um controle detalhado sobre toda a movimentação de recursos dentro de determinados períodos, que podem ser delimitados pelos gestores. De forma ideal, esse acompanhamento é feito durante o dia a dia, se tornando um dos instrumentos essenciais na boa coordenação da empresa de uma maneira geral.

Esse recurso também pode ser utilizado como um meio de antecipar futuros cenários financeiros. Com isso, as pessoas responsáveis pelas tomadas de decisão passam a ter acesso a uma visão mais objetiva do que pode acontecer, possibilitando a criação de projeções e comparações entre o que foi previsto e o foi efetivamente realizado.

Além dos benefícios mais diretos, por assim dizer, tal prática permite o auxílio de setores que possam estar carentes de investimento ou que estejam demandando gastos desnecessários. As equipes de chefia que escolher utilizar plataformas que reúnem e organizam esses dados, como os sistemas ERP para indústrias, possuem ainda mais vantagens sobre seus concorrentes.

É nesse momento que os administradores e líderes se valem dessas e outras informações para empregar ações que exercem impactos elevados no comportamento da empresa e nos resultados que elas obtêm. Ademais, existem outros pontos que prosperam a partir de tal método, como os descritos abaixo.

Fornecimento de análises sobre a saúde financeira

Uma das vantagens do fluxo de caixa se dá por sua capacidade de fornecer uma análise muito precisa sobre como está a saúde financeira de qualquer tipo de empreendimento. Isso é relevante porque, nem sempre, altos ganhos em um dia significam, efetivamente, ter lucro ao longo de um período de tempo.

Por meio da sua análise é possível acompanhar balanços gerais e detalhados — como e se ela gasta mais para poder ganhar mais, por exemplo. Com isso, é muito mais fácil perceber se o modelo de negócio adotado é rentável ou não. Afinal, se os números estão constantemente negativos, significa que algo de errado está acontecendo, dando mais tempo para a criação de soluções.

Garante maior acesso ao controle financeiro

O controle financeiro é o principal objetivo de que insere essa tarefa nas atividades de gerenciamento. Ao fazer corretamente seu fluxo de caixa, a gestão passa a ter plena certeza sobre tudo o que entra e o que sai da empresa em qualquer período de tempo, tornando a identificação das receitas e despesas muito mais acessíveis.

Permite o planejamento a longo prazo

Por poder ser aplicado de maneira preditiva, as companhias têm a possibilidade de se planejar a fim de absorver qualquer impacto futuro. Uma boa estratégia é a antecipação de quedas de receita por motivos ligados à sazonalidade, por exemplo, garantindo mais solidez a seus processos. Algo que é muito comum em diversos seguimentos do mercado.

Apoia o processo de tomada de decisão

A informação é um bem muito valioso para qualquer empresa que almeje alcançar o sucesso em seu ramo de atuação. E é claro que os gestores que acompanham de perto as movimentações financeiras tem maior vantagem durante os seus processo de tomada de decisão como um todo.

Esse preparo assegura que o planejamentos de investimentos futuros, obtenções de recursos, ações internas e externas sejam realizadas com muito mais clareza e amparo de dados, diminuindo as chances de insucessos.

Mas, afinal, como gerenciá-lo?

Tão importante e relevante quanto o fluxo de caixa, é a maneira como seus dados são gerenciados, já que é uma abordagem adequada que garante que essa ferramenta seja relevante e completa. Em termos gerais, o mais indicado é que haja um planejamento que inclua determinados períodos, contudo, é ideal que o acompanhamento seja feito diariamente.

Além disso, também é altamente recomendado que um sistema específico de gestão seja utilizado. Embora o controle da movimentação do caixa possa ser feito à mão, há muita lentidão e passividade quanto a erros. No caso dos sistemas automatizados e dedicados, tudo é realizado de forma mais rápida e sem interferência que podem causar incorreções.

Quando essa atividade é executada em planilhas ou até mesmo em cadernos de contabilidade, existe muita demora e perca de tempo hábil que pode ser dedicado a outras demandas do cotidiano corporativo. Além do mais, esse processo pode ser ainda mais dispendioso e ineficiente, quando consideramos uma empresa com muitas operações ou contas bantante complexas.

As movimentações financeiras são importantes, contudo é necessário analisar as informações, estabelecer processos, documentar e acompanhar. É um ciclo que se forma em prol da otimização da área financeira de todos os tipos de negócio que implementam esse hábito aliado à ferramentas de qualidade. Conheça as etapas que contribuem para o sucesso.

1. Faça um inventário completo

O inventário de registros financeiros é a documentação de todos os custos fixos e variáveis, as receitas em caixa e a receber, além de todos investimentos que possuem previsão de serem realizados durante o período escolhido para análise.

Fazer esse levantamento permite organizar suas informações e o seu fluxo de caixa. Uma dica é separar por categorias: operacional (dia a dia), investimentos, inovação e expansão, tornando os procedimentos muito mais práticos e organizados.

2. Determine um período específico de análise

Depois de catalogar, documentar e organizar os dados à sua disposição, é necessário analisá-los. Afinal, sem uma análise detalhada, não é possível identificar problemas e otimizar suas despesas. Portanto, delimite um período que seja do seu interesse, como um trimestre ou um mês de vendas sazonais e compare os resultados.

Dessa forma, as evoluções e discrepâncias são notadas com mais facilidade, gerando maior aporte e sabedoria nas futuras tomadas de decisões. Porém, não existe uma regra. Muitas empresas fazem suas análises de três em três meses, por exemplo, por ser um tempo que permite avaliar possibilidades de investimentos e outras estratégias relacionadas ao negócio.

3. Registre todas as contas a pagar e a receber

Não há como investir um uma gestão empresarial de qualidade e competência sem o acompanhamento aprofundado de tudo que entre e sai dos caixas da sua companhia. Qualquer tipo de planejamento ou futuras pretensões são impossibilitadas pela simples falta de supervisão de informações fundamentais como essas.

Em primeiro lugar, classifique o que é considerado como despesa fixa e as datas de pagamento de cada uma delas, isso inclui: aluguel, internet, funcionários, entre outros. Em seguida, faça o lançamento das suas vendas, discriminando entre as transações tanto à vista quanto à prazo. Torne essa atividade um hábito e repita-a durante os meses subsequentes.

Dessa forma, o fluxo de caixa pode ser analisado levando em consideração tudo que é importante e essencial na implantação de ações, tanto no presente quanto no futuro.

4. Atualize seus dados

Tudo que envolve mudança de valores monetários deve ser incluído quando sofrem algum tipo de alteração, como: aumentos salariais, compras com custos menores, aluguel mais alto, etc. Todos exemplos de custos que podem variar e influenciar seu fluxo de caixa. Por esse motivo, é importante que se mantenha os dados constantemente atualizados, evitando surpresas indesejadas.

5. Invista em um sistema de gestão

Por fim, uma solução de gestão focada para sua empresa, como um bom sistema ERP para indústrias, que traz imensos benefícios em termos organizacionais e que possibilitam maior precisão e menor gasto de tempo. Esse sistema dispensa o uso de planilhas do Excel, já que conta com otimização do fluxo de informações, gestão em tempo real e maior segurança.

O fluxo de caixa é de grande importância para que a empresa possa conhecer, otimizar e planejar sua situação financeira. Como são informações valiosas, esse recurso é um grande apoiador da tomada de decisão empresarial, o que garante que o negócio se tornará mais robusto.

E você, como faz o fluxo de caixa na sua empresa? Como ele ajuda na gestão de seus negócios? Comente e compartilhe suas experiências!

Leia também: Saiba o que é PCP – Planejamento e Controle de Produção

Demonstração Grátis