Sem planejamento correto uma empresa não cresce. Essa frase pode parecer clichê, mas é a verdade. Por isso, você precisa dedicar um tempo do seu mês para os planos estratégicos da organização. Isso fará com que haja objetivos e metas bem definidos para garantir o bom funcionamento no cotidiano da empresa.

Assim, você terá um norte para estabelecer quais serão as tarefas que devem ser desempenhadas pela equipe operacional. Lembre-se de que todos da empresa precisam trabalhar em prol de um objetivo comum e o planejamento estratégico é essencial para que isso aconteça.

Se você quer saber mais sobre o que é, como funciona, qual é a importância e como evitar falhas nos planos, continue a leitura e confira todas as informações que separamos. Acompanhe!

O que são planos estratégicos?

Os planos estratégicos são uma representação dos objetivos e metas de longo prazo de uma empresa (de 3 a 5 anos). Eles são elaborados levando em consideração toda a empresa e têm como base os valores estratégicos, ou seja, a missão, a visão e os valores. É importante mencionar que eles servem de fundamento para a criação dos planejamentos táticos e operacionais.

Sendo que o primeiro compreende as tarefas desmembradas dos planos estratégicos, ou seja, são os planos de marketing, de vendas, de logística, entre outros. Já o operacional, está relacionado às atividades que devem ser cumpridas pelos colaboradores para que os planos táticos sejam concluídos com sucesso.

Portanto, os planejamentos estratégico, tático e operacional precisam estar alinhados para que possam ajudar a atingir o objetivo principal da empresa. Então, é essencial que você implante esse processo e elabore os planos necessários para garantir o seu funcionamento.

Para que serve o planejamento estratégico?

O planejamento estratégico serve para orientar tudo que acontece no dia a dia da empresa. Isso porque ele contém os objetivos e as metas que precisam ser atingidas por todos os seus membros. Além disso, como mencionamos, é a base para que os outros planos sejam elaborados.

Vale destacar que sem esse planejamento fica inviável o funcionamento da organização, pois seria difícil entender qual o rumo seguir. Dessa forma, a empresa ficaria estagnada no tempo ou não conseguiria sobreviver às mudanças e as crises do mercado. Adicionado a possibilidade de não ter espaço para seu crescimento.

Além disso, quando você tem os planos estratégicos definidos, consegue distribuir os recursos financeiros, materiais e humanos da empresa de maneira mais coerente e eficiente. Assim, evita os desperdícios, o retrabalho e os custos desnecessários. Sem contar que durante o processo da elaboração do planejamento você aplica a metodologia PDCA.

Sendo assim, fica mais fácil identificar as atividades e as ações que não estão dando os resultados esperados. Isso porque você planeja, executa, verifica e corrige os itens que precisam de melhoria para que possa ser atingido os objetivos esperados pela alta administração.

Leia também: Os erros que você deve evitar ao reduzir custos da empresa

Qual a importância dos planos estratégicos para as empresas?

Podemos dizer que os planos estratégicos são importantes porque trazem muitos benefícios para as empresas. A primeira vantagem proporcionada é a organização, pois quando você tem os objetivos e as metas definidas, fica mais fácil determinar quais as atividades necessárias para conquistá-las.

Outro benefício é a assertividade das decisões, já que é possível entender quais são os rumos que a empresa precisa tomar. Além disso, você toma decisões com base nos dados coletados no controle dos indicadores da aplicação do planejamento, bem como nas metas definidas.

Também existe uma maior priorização das atividades, pois com os planos fica mais fácil identificar quais são as tarefas que precisam ser feitas de acordo com os objetivos esperados. Por fim, você consegue elevar a produtividade dos colaboradores, já que eles saberão o que e por que precisam fazer determinada ação no dia a dia da empresa.

Leia também: Como delegar tarefas e funções de maneira efetiva

Por que os planos estratégicos falham?

Definir e planejar com cuidado o futuro da empresa é essencial para que tudo aconteça conforme o previsto. E é exatamente por isso que existe o plano estratégico. Mas por mais que seja uma ferramenta importante para qualquer negócio que realmente deseja crescer, muitos gestores ainda elaboram esse plano de maneira incorreta, levando a falhas e frustrações.

Para evitar que isso aconteça com o seu negócio, você deve conhecer os principais motivos porque os planos estratégicos falham na implementação e o que fazer para evitar esses erros. Então, continue lendo e confira as nossas dicas.

Planejamento irreal

Um fator crucial responsável pela falha de boa parte dos planos estratégicos é o fato de que muitos deles são feitos com objetivos e considerações absolutamente irreais. Isso normalmente acontece quando o planejamento é feito sem uma avaliação cuidadosa do mercado ou do negócio em si.

Para evitar que isso aconteça, é preciso conhecer a situação atual da empresa e do mercado, procurando também prever qual será o panorama geral dentro de algum tempo. Ter uma visão realista, que leve em consideração a capacidade e os recursos da empresa, ajuda bastante na definição de um planejamento realmente relevante.

Escassez de informações

A escassez de informações também é um fator que leva à falha dos planos estratégicos, pois impede que a empresa tenha uma visão sistêmica sobre o que realmente está acontecendo. Isso geralmente acontece quando a administração deixa de investir na coleta de informações importantes para o negócio, fazendo com que boa parte das decisões seja tomada às cegas.

Para evitar esse cenário nada ideal, é preciso investir em uma boa forma de captação e geração de dados, o que normalmente pode ser feito ao adotar um sistema de gestão integrada, por exemplo.

Como informações e dados significam conhecimento, para o plano estratégico dar certo é necessário conhecer muito bem o negócio e suas condições, incluindo peculiaridades e até limitações.

Falta de comprometimento

Outro erro que leva os planos estratégicos a falhas é a falta de comprometimento. Isso significa que o planejamento pode até ser relevante, mas não é colocado em prática como deveria, levando a resultados que nunca chegam.

Normalmente, isso acontece quando a empresa não tem consciência da real importância do plano estratégico, elaborando-o apenas por ser uma recomendação de negócio, um processo a mais para lidar.

O primeiro passo para evitar esse erro é montar um planejamento que seja realmente relevante para a situação da empresa, uma vez que só isso já ajuda a garantir um maior nível de comprometimento.

Em seguida, é preciso contar com as pessoas e os líderes certos em cada área, todos dispostos a colocar tal planejamento em prática. Engajar, motivar e conscientizar também fazem parte do processo de comprometimento.

Ausência de cronograma

Não ter um cronograma é altamente prejudicial para o sucesso dos planos estratégicos, uma vez que diminui a motivação dos envolvidos e faz com que os resultados sejam mais difíceis de serem obtidos.

Sem um tempo determinado para que as coisas aconteçam, as atitudes do plano acabam sendo adiadas ou mesmo preteridas em relação a outras consideradas prioritárias. E isso leva a fracasso na certa.

Por essas e outras, é muito importante estabelecer um período de tempo que seja ao mesmo tempo factível e desafiador, possível e adequado para os objetivos e a situação da empresa. Assim, a relevância do plano é mantida e os resultados ficam cada vez mais próximos de serem obtidos.

Inexistência de métricas

As métricas são indicadores que mostram se o plano estratégico está dando certo ou não. Sem elas, é praticamente impossível saber se os resultados obtidos até o momento são bons ou ruins dentro do planejamento. Nesse contexto de incertezas, a administração do plano pode ser bastante comprometida, isso resulta em erros.

Por isso, juntamente com a definição do plano estratégico, deve-se também definir quais serão as métricas levadas em consideração. Lembre-se de que nem toda métrica é relevante, mas algumas são indispensáveis para saber o que está acontecendo com a empresa.

Se o plano estratégico propõe um aumento de faturamento de 30%, por exemplo, uma métrica significativa pode ser o número de vendas mensais, isso ajuda a gestão a ter uma visão completa do cenário.

Negligência ao acompanhamento

O plano estratégico não deve ser pensado e colocado em prática para depois ser esquecido. Essa falta de controle é, inclusive, um dos motivos que fazem com que tudo seja ineficiente e o plano acabe falhando.

Assim, da mesma forma que com qualquer outra ferramenta do negócio, é muito importante que o plano estratégico seja controlado e acompanhado de maneira dinâmica.

Somente definir as métricas não é o bastante. É preciso acompanhá-las com frequência para entender melhor o que está acontecendo com o planejamento e, se é necessário, atuar de alguma maneira em tempo hábil para que o problema não se agrave.

Demora nas decisões

A atuação efetiva é outra chave para o sucesso, já que muitas vezes é necessário fazer modificações no planejamento para que ele se torne mais relevante e, consequentemente, tenha mais chances de sucesso. Demorar demais para tomar as decisões necessárias só causa prejuízo e posterga o que deveria ser inadiável.

Para evitar esse erro, é muito importante se manter atento às métricas por meio do acompanhamento dinâmico, a fim de identificar possíveis questões que estejam atrapalhando o plano estratégico ou que estejam interferindo nos resultados. Além disso, também é preciso se atentar para a necessidade de tomada de decisão criada pelo plano estratégico.

Se o objetivo é aumentar o faturamento em 30% e as vendas continuam caindo, é mais importante agir na queda das vendas do que mudar o objetivo! Isso sem contar que as decisões criadas pelo plano também têm que ser levadas em consideração ou, do contrário, ele não será efetivo. Com isso, ocorre uma espécie de lapidação do plano, que se torna ainda mais assertivo e tem menos chances de falhar.

Seja por não se adequar à realidade, não ter o devido acompanhamento ou faltar um cronograma, o plano estratégico pode falhar, o que certamente prejudicará os resultados da empresa. Ao evitar que esses erros aconteçam, maiores são as chances de que o planejamento não apenas tenha sucesso, como também seja relevante.

Leia também: Planejamento de marketing: 7 práticas para organizar a sua empresa

Melhores alternativas para colocar em prática os planos estratégicos

Para desenvolver os planos estratégicos é necessário fazer o diagnóstico da empresa e do mercado. Nesse sentido, você deve entender ou formular a missão, a visão e os valores. Assim como deve usar ferramentas para analisar os pontos fracos e fortes da organização e descobrir as ameaças e as oportunidades que o mercado oferece.

Com essas informações, você pode iniciar a construção das metas. Assim, pode utilizar técnicas, como a SMART, para criar metas em curto, médio e longo prazos que sejam específicas e mensuráveis. O próximo passo é determinar as estratégias, ou seja, as ações que serão tomadas para que as metas sejam atingidas.

Em seguida, deve-se implementar as estratégias com a ajuda dos colaboradores, ou seja, colocar em prática os planos. Por fim, você precisa acompanhar as ações por meio de indicadores para saber se elas estão conquistando os resultados esperados. Caso eles não estejam de acordo com o planejamento, é necessário aplicar ações de melhoria para corrigir os problemas.

Em resumo, os planos estratégicos são essenciais para que uma empresa funcione corretamente e, consequentemente, atinja os resultados desejados. Por isso, você precisa entender como eles são desenvolvidos para elaborá-los, bem como tirar as ações do papel.

Agora que sabe tudo sobre planejamento de uma empresa, comente aqui e nos conte: quais são suas dificuldades em relação aos planos estratégicos? Qual das nossas dicas para evitar as falhas na implementação chamou mais sua atenção e será mais útil para seu dia a dia? Participe e enriqueça nosso conteúdo!

Leia também: Sistema de Gestão para Pequenas Empresas.

Demonstração Grátis