Cadastre-se e assista uma demonstração online

Demonstração Interativa

Acesse e conheça todos os detalhes do software Advanced Business ERP

Advanced Business E.R.P

Saiba mais sobre o que é estoque mínimo e qual é sua importância

Saiba mais sobre o que é estoque mínimo e qual é sua importância

O controle de estoque é um elemento fundamental para a adequada gestão financeira de qualquer empresa, já que sua má administração pode acabar resultando em perdas e acúmulos desnecessários, o que, por sua vez, leva a prejuízos para o negócio. Melhor não deixar chegar a esse ponto, certo? Então comece a se prevenir desde agora, começando por entender o que é e qual é a importância do estoque mínimo. Vamos lá?

Gestão de estoque

Gerir adequadamente o estoque implica em um planejamento prévio para abastecê-lo com a quantidade adequada de mercadorias nos períodos certos. É preciso controlar tanto o que entra como o que sai do estoque regularmente, por meio de um processo eficiente e ágil, preferencialmente sem ser necessário medir o estoque de forma física. Daí surge a importância da automação dos processos com o uso de sistemas de gestão. O controle de estoque tem como objetivos:

  • Identificar as necessidades de reposição (mercadorias faltantes) e de substituição ou retirada (mercadorias excedentes, danificadas ou fora do prazo de validade);
  • Evitar ao máximo as perdas, os roubos e desvios de mercadorias;
  • Administrar os custos dos produtos ou serviços a partir dos artigos armazenados;
  • Administrar o capital de giro, determinando suas principais necessidades;
  • Identificar o tipo de mercadoria a ser comprada, o momento de adquiri-la e exatamente em que quantidade.

A gestão de estoque integra a logística de uma empresa por meio do planejamento correto, que visa manter o estoque em um nível ideal, conforme as necessidades da cadeia de suprimentos. Nesse contexto, uma boa gestão determinará o nível de qualidade e também a quantidade do estoque.

Técnicas de controle

Uma boa gestão do estoque contribui para:

  • O equilíbrio financeiro da empresa, evitando compras que oneram o fluxo de caixa e perdas de mercadorias, que implicam em prejuízos financeiros;
  • O aumento da lucratividade;
  • A redução dos espaços destinados à armazenagem.

E para usufruir de todas essas vantagens é preciso utilizar técnicas de controle como estas descritas abaixo:

Elaboração de inventário

O inventário nada mais é que o levantamento e a organização de todos os itens do estoque feito por meio da contagem das mercadorias, relacionando seu valor unitário e também o valor total.

Cálculo de média de vendas e previsões

Aqui se calcula a média de vendas dos últimos meses (especialmente do mês imediatamente anterior) e do valor mensal de cada mercadoria, fazendo a comparação por meio de percentuais. A partir desses cálculos é possível fazer uma estimativa das vendas futuras.

Identificação de produtos de destaque

É preciso dividir as mercadorias conforme o preço que apresentam e seu potencial de venda, traçando, a partir daí, estratégias para alavancar as vendas dos produtos que apresentam pouca ou nenhuma saída.

Análise do giro de estoque

É importante analisar o giro do estoque (quantidade de vezes em que o estoque foi renovado em determinado período) e o tempo de cobertura (tempo que a mercadora leva para sair do estoque), de forma a se ter um panorama mais completo a respeito do ciclo dos artigos.

Estoques mínimo

Estoque mínimo é um conceito importante utilizado como parâmetro na gestão de estoque especialmente para auxiliar na tomada de decisão com relação à compra de mercadorias.

O estoque mínimo também recebe outras denominações, como estoque de segurança, estoque de reserva, estoque de proteção, estoque de amortecimento e buffer stocks. Corresponde à reserva de produtos destinada a casos especiais de demanda. É a quantidade mínima de mercadorias que deve ser mantida em armazenamento.

Caso haja demanda superior à habitual em determinado mês, é possível usar mercadorias do estoque mínimo para suprir as necessidades enquanto o tempo de reposição se completa, como uma forma de proteção, impedindo o ponto de ruptura (estoque sem mercadorias).

As fórmulas utilizadas são: estoque mínimo = consumo médio diário x tempo de reposição e consumo médio diário = consumo das mercadorias em um período ÷ pelos dias deste período. Então por exemplo, se uma mercadoria teve um consumo de 150 unidades em um mês, seu consumo médio diário será de 5 unidades (150 unidades ÷ 30 dias). E se o tempo de reposição desta mercadoria é de 10 dias, então o seu estoque mínimo será de 5o peças (5 unidades  x 10 dias).  Pode-se ainda atribuir um fator de segurança, que é uma margem adicional para diminuir o risco de falta de estoque por uma questão de picos de demanda. Por exemplo, se o fator de segurança for 10%, no exemplo acima, o estoque mínimo seria de 55 peças (50 +10%).

Gráficos de estoque

O ideal é trabalhar com gráficos que relacionem a quantidade de mercadorias (eixo vertical) aos períodos (eixo horizontal). O consumo das mercadorias é representado por dentes de serra, com pontos máximos e mínimos — os pontos máximos, ao alto, representam o estoque máximo, enquanto os pontos mínimos, embaixo, representam o estoque mínimo.

Agora que você já é praticamente um expert no assunto, comente aqui e nos conte como calcula atualmente o estoque mínimo da sua empresa! Já usa um bom ERP para auxiliar na gestão? Divida suas experiências conosco! E não se esqueça de também curtir a nossa página no Facebook!

Compartilhe